Em dez anos, patrimônio de Santana passa de R$ 1 mi para R$ 59 mi, diz RF

0
10
23ª FASE DA LAVA JATO Operação mira João Santana e Odebrecht

Receita Federal diz que parte do dinheiro não passou por conta bancária.
Marqueteiro do PT e a mulher dele foram preso pela Operação Lava Jato.

Um relatório da Receita Federal aponta divergências nas declarações de Imposto de Renda do marqueteiro do Partido dos Trabalhadores (PT) João Santana e da mulher dele, Monica Moura. De acordo com o levantamento, o patrimônio de Santana aumentou de R$ 1 milhão em 2004, para R$ 59 milhões em 2014, em valores não corrigidos.

O casal foi preso na 23ª fase da Lava Jato e está detido na carceragem da Polícia Federal (PF), em Curitiba. Eles estavam na República Dominicana no dia da deflagração da operação, na segunda (22), e retornaram ao Brasil nesta terça (23), quando se entregaram para a polícia.

A dupla faz parte da principal linha de investigação da atual fase, que foi batizada de Acarajé. As autoridades policiais suspeitam que, usando uma conta secreta no exterior, o publicitário João Santana teria recebido US$ 7,5 milhões da Odebrecht e do engenheiro Zwi Skornicki, representante oficial no Brasil do estaleiro Keppel Fels. A empreiteira também é investigada pela Lava Jato e Zwi Skornicki está preso.

Ainda conforme o relatório da Receita, parte do dinheiro que aumentou entre 2004 e 2014 não passou pelas contas bancárias de Santana.

Em 2012, por exemplo, o publicitário não informou nenhuma movimentação financeira, mas declarou rendimentos de R$ 7,8 milhões.

O levantamento da Receita também mostra que o marqueteiro do PT teve gastos elevados com cartões de crédito de mais de R$ 500 mil em 2012, mas esses valores não circularam pela conta corrente dele.

A compra de um apartamento em São Paulo, em 2013, por R$ 3 milhões também não consta na movimentação da conta bancária de Santana.

“Ele não tinha movimentação financeira nas suas contas, parecia ser incompatível que ele tivesse, de fato, pago aquele valor. Mas tem todos os indícios que ele tenha sido adquirido com recursos espúrios, caracterizando ato de lavagem”, disse o delegado Filipe Pace.

Carro de luxo para a mulher
A compra de um carro de luxo no valor de R$ 365 mil, em janeiro de 2013, também consta na declaração do Imposto de Renda de Monica Moura, mas o relatório da Receita aponta que o dinheiro também não saiu da conta bancária dela.

De acordo com as informações, a concessionária que vendeu o carro é a mesma que fechou o negócio de um veículo da mesma marca para a mulher de Nestor Cerveró, ex-diretor da área Internacional da Petrobras que também está preso e responde pela Lava Jato.

Segundo o depoimento da vendedora que fez o negócio com a mulher de Cerveró, o carro foi pago em dinheiro vivo e a transação ocorreu em 2012. Quando a venda foi concluída, Nestor Cerveró ainda trabalhava na Petrobras.

O G1 tentou entrar em contato com o advogado de João Santana, Fábio Tofic, mas foi informado de que ele não atenderá o telefone nesta quarta-feira. Fontehttp://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2016/02/em-dez-anos-patrimonio-de-santana-passa-de-r-1-mi-para-r-59-mi-diz-rf.html