Chape segura pressão na Venezuela e vence estreia histórica

0
3
Foto: Reuters

O grande retrospecto da Chapecoense pela América do Sul segue mesmo após a tragédia do final do ano passado com a sua delegação. Ainda em reconstrução após o triste acidente, a sensação da Sul-Americana de 2016 fez a sua estreia na noite desta terça-feira em jogos pela Libertadores e venceu mesmo atuando em solo venezuelano. Com gols de Reinaldo e Luiz Antonio, o time brasileiro venceu o Zulia por 2 a 1, na abertura do grupo 7 do torneio.

Com uma equipe toda remontada após a tragédia do voo que ia para a Colômbia, a Chapecoense fez hoje a sua primeira partida fora do Brasil após o acidente. Mesmo assim, não se intimidou como o estádio Pachenco Romero lotado e nem com a pressão dos mandantes, que também faziam a sua estreia em jogos pela Libertadores. Dessa forma, a atual campeã da Sul-Americana soma seus três primeiros pontos no torneio e lidera o grupo, que ainda conta com Lanús e Nacional-URU – times que se enfrentam na Argentina, na próxima quinta.

 Característica já comumente atribuída à Chape, a superação do time catarinense começou antes mesmo da partida. O volante Andrei Girotto e o atacante Wellington Paulista tiveram problemas com seus passaportes e quase não chegaram à cidade de Zulia, na Venezuela. Em campo, o clima era amistoso até o início da partida, quando os jogadores da Chapecoense eram aplaudidos ainda no aquecimento. Após a bola rolar, porém, ao time brasileiro iniciou uma verdadeira partida de Libertadores, com jogadas ríspidas, pressão da torcida e, por vezes, um futebol truncado.

.

Foto: Reuters

A Chapecoense começou o jogo contendo bem a pressão do Zulia, especialmente nos dez primeiros minutos. Em seguida, começou a tomar conta do jogo e teve as primeiras chances com Niltinho e Andrei Girotto. O placar, no entanto, só foi aberto aos 32 minutos. A orientação do banco de reservas era para que Luiz Antônio cobrasse a falta à esquerda da área, mas o destino quis que Reinaldo fosse o encarregado de bater na bola. Sem muito ângulo, o lateral-esquerdo bateu com efeito, no canto esquerdo do goleiro. O zagueiro Plazas ainda tentou tirar a bola de cabeça, mas não conseguiu evitar o gol.

Na segunda etapa, o Zulia até esboçou uma reação e teve duas oportunidades antes dos 15 minutos. A Chapecoense, porém, teve calma e conseguiu ampliar a vantagem com 23 jogados. Luiz Antonio recebeu boa bola de João Pedro, ajeitou e chutou forte, rasteiro e de primeira para anotar o segundo dos brasileiros.

Foto: Reuters

O jogo já parecia tranquilo, mas o Zulia conseguiu diminuir a vantagem da Chape aos 32 minutos. Os donos da casa bateram escanteio no segundo pau, a zaga da equipe catarinense falhou e Zambrano cabeçou sozinho para o meio. Em nova falha, Arango entrou livre e só desviou para o gol.

Ainda houve tempo para Apodi, que havia acabado de entrar, acertar o travessão em um lindo chute após virada de Reinaldo. Em seguida, Arthur Moraes salvou a Chape, aos 42, com uma defesa espetacular após finalização de Arango.

Foto: Reuters

FICHA TÉCNICA
ZULIA-VEN 1 x 2 CHAPECOENSE

Local: Estádio José “Pachencho” Romero, em Maracaibo (VEN)
Data-hora: 7/3/2017 às 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Omar Ponce (EQU)
Assistentes: Luis Veras (EQU) e Juan Macias (EQU)

Cartões amarelos: Kambou, Adrián Zambrano, Romero e Arango (ZUL)

Gols: Reinaldo (33’1ºT – 0 x 1), Luiz Antônio (23’2ºT – 0 x 2) e Arango (32’2ºT – 1 x 2)

ZULIA-VEN: Renny Vega; Rivillo (Romero – 41’2ºT), Kambou, Henry Plazas e Notaroberto; Junior Moreno e César Gómez (Adrián Zambrano – 15’2ºT); Savarino, Juan Arango e Orozco; Unrein. Técnico: Daniel Farias

CHAPECOENSE: Artur Moraes; João Pedro, Grolli, Nathan e Reinaldo; Girotto, Moisés Ribeiro(Luiz Otávio – 27’2ºT) e Luiz Antônio; Arthur (Apodi – 38’2ºT), Wellington Paulista e Niltinho (Osman – 29’2ºT). Técnico: Vagner Mancini

 

Fonte: https://esportes.terra.com.br/futebol/libertadores/libertadores-zulia-1-x-2-chapecoense,19cf7e3f7cd490844ccceb99f3c77d6ah09trieb.html